Óprah'ela na tv



Hoje aconteceu-me uma coisa estranhíssima. Estava a fazer um zapping tranquilo da minha vida quando, ao passar na SIC Mulher, fiquei encravado. É minha regra que o tradicional salta-canal é feito em perídos de 5 segundos, tempo mais que suficiente para perceber o que está a ser emitido.
Acontece, no entanto, que desta vez os 5 segundos chegaram ao fim e não fui capaz de mudar: estava a dar o show da senhora dona Oprah Winfrey.
Fiquei preso ao aparelho, confesso. A senhora estava a oferecer, assim de mão beijada, uma casa à escolha a uma senhora coitadinha mãe de três mas que também ficou a cuidar de seis filhos do irmão drogado e ela pobre infeliz mal tem dinheiro para pagar a luz vejam lá que trabalha no Starbucks a tirar cafés o dia todo e no último natal nenhum dos miúdos viu um presente sequer à frente do nariz e isto não é fácil e ela é uma mulher de coragem e já estão outras três senhoras da plateia a chorar parecem maria madalena não a bolacha mas sim a outra do cristo.
Vai daí, a tia Oprah empresta-lhe a sua agente imobiliária para que escolha a casa (e passo a citar:) que ela quiser; mas não é tudo, toma lá também o meu decorador pessoal e toma lá recheio completo para a sala, a cozinha e os quartos, que tu mereces, mulher.
Ah, e ainda pega nos putos todos, arranca para a Toys'R'Us e vai de escolherem o que quiserem. Resultado: mais 15 mil dólares em brinquedos.

Porra. Isto é televisão em grande.
Ainda há uns tempos a Oprahzita teve uma ideia brilhante e ofereceu um carro (General Motors, incha!) a todas as pessoas da plateia. Mais de duzentas.
Porra. Isto é televisão em grande. Haja dinheiro.

O The Oprah Winfrey Show começou em Setembro de 1986 e catapultou a senhora Winfrey para o lugar de mulher mais importante da televisão norte-americana.
Cito:
"Originally our goal was to uplift, enlighten, encourage and entertain through the medium of television. Now, our mission statement for 'The Oprah Winfrey Show' is to use television to transform people's lives, to make viewers see themselves differently and to bring happiness and a sense of fulfillment into every home."
Pois.
Televisão em grande. Televisão que salva, redime, recompensa e tudo isto intervalado de cinco em cinco minutos.

Fiquei preso a olhar para o que ali ia acontecendo.
É poderoso. O que for dito naquele programa é, para os seus fiéis espectadores, a verdade incontornável.
Por entre pausas para publicidade, a tia Oprah revela que o que vamos ver a seguir foi um dos momentos mais comoventes da sua vida. É sempre isto que ela diz. E nós vamos. E acreditamos.
Depois, a tia Oprah diz que vai dar às pessoas o que elas precisam. E nós sabemos que sim.

Se o outro tipo de Nazaré voltasse à terra ia ter séria concorrência. Não bastava o milagre da multiplicação, teria que fazer o milagre da comunicação.
Porra.

6 comentários:

Vera disse...

Ah pois é... às vezes também vejo o programa da senhora Oprah e não sei se gosto ou não, a verdade é que me entretém. Não curto muito quando lhe dá para puxar ao sentimento mas quando faz entrevistas com actores e isso até é fixe.
Ela tem dessas pancadas muitas vezes, de desatar a dar prendas assim ao pessoal. E nunca são coisas pequeninas, é sempre tudo em grande (do tipo, aqueles programas do "oprah's favourite things" em que ela oferece as suas coisas preferidas (câmaras de vídeo Sony, mobiliário, viagens, jóias...) ao pessoal que lá vai assistir. A senhora é uma bacana, é o que eu acho! E, puxando já para a conversa um post que tens mais em cima, em não me importava de ir calcetar quarteirões em Miami só para depois ir assistir a um desses programas!

sofia_a_falhada disse...

pah alguém k diga ao sr. sócrates pra ele ir ao programa dela contar a triste história do nosso país, a ver se ela nos dimunui o nosso vergonhoso défice de 6,83 pontos percentuais...

kem me apoia???

sofia, barcelos

Mágico disse...

A propósito de caridades...
Se possível visitem o meu blog, e vejam o post acerca do dia mundial da criança para ajudar as crianças com fome de forma gratuita :)
obrigado

S. disse...

Eu também vi. E colei.

Marco disse...

Essa historia do carrito da GM, pelo que li na empresa da especialidade leia-se gajos que escrevem sobre carros, gajos que ganham para experimentar carro para depois escrever sobre os mesmos, a ideia foi mesmo da GM que falou com a chô Dona Oprah, para esta entregar as chaves aos novos donos dos popos. Pena que em PT não se faça o mesmo.

Joana (Dra-D) disse...

Ele é carros, dinheiro a rodos, para populaçoes africanas, e agora após o furacao Katrina... VILAS!!!!

É isso mesmo a Oprah e a Harpo (a empresa dela, que tem de tudo um pouco desde revistas, a producão do programa, etc etc etc etc) está a construir bairros inteiros, do tipico sonho americano, com a relvinha na frente e o cercadinho branco em volta, com o lugarzinho para o carro, e playground p' crianças... para realojar não uma, mas centenas de famílias que ficaram sem nada deido ao Katrina.

Ha uma coisa que tem que ser dita, a Sophia do filme 'A Cor Purpura' tem feito muito, por muitas pessoas... a nivel monetario, só apressa um pouco mais as coisas, a nivel emocional ela consegue diminuir e evitar anos e anos em terapias...