Um desafio

O meu caríssimo amigo proprietário e reaccionário do fantástico Sublimado e Corrosivo , lançou-me o desafio.
Remoí, não me apeteceu muito, mas depois não resisti.
Cá vai disto:

Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?
Definitivamente, um livro em branco. Com folhas daquelas das sebentas, papel grosseiro, tipo mata-borrão.

Já alguma vez ficaste apanhadinho por uma personagem de ficção?
Sem dúvida que D.Quixote ainda me persegue na penumbra, mas tenho que confessar que não há personagem que me tenha marcado mais (há coisas que não se explicam) do que o Fernão Capelo. Isso mesmo: a gaivota.

Qual foi o último livro que compraste?
Escorreguei por impulso e trouxe para casa o naïf. super. do Erlend Loe. Já agora, na página 73 lê-se o seguinte:

Nos últimos dias não tenho feito nada senão martelar.Tenho martelado de manhã à noite.É uma excelente actividade monótona que me enche de alegria.Os pensamentos param.

Recomendo vivamente, como seria de esperar.

Qual foi o último livro que leste?
"O Caminho para Wigan Pier", de George Orwell.
Porra, que a vida é bela.

Que livros estás a ler?
Além do já referido "naïf.super.", estou com "As mentiras que os Homens contam", do Luis Fernando Veríssimo e com o fabuloso "The Pythons Autobiography by The Pythons". Encostei nas boxes durante uns tempos o "Não te deixarei morrer, David Crockett", do Sousa Tavares e assumo a desistência (a um terço do fim) do "Ensaio sobre a Lucidez", do José Nobel Saramago.

Que livros (5) levarias para uma ilha deserta?
Um manual de sobrevivência em ilhas desertas, um manual de construção de balsas e jangadas, um manual de sobrevivência em alto mar numa balsa ou jangada, um manual de origami com folhas de bananeira e o "The Pythons Autobiography by The Pythons" - para os tempos livres, ou na pior das hipóteses, para os tempos mortos.

A quem vais passar este testemunho (três pessoas) e porquê?
Essa é complicada. Mas acho que vou passar a três visitantes habituais deste meu belógue:
- a pecola
- a Vera Alves e
- a s.
Porque quero ouvir as senhoras, porque sou curioso e porque sim, se elas aceitarem o convite.

E já está.

3 comentários:

S. disse...

S., com maiúscula, se fazes favor.
E agora algo que postei em tempos anteriores à própria História:

"Heaven is not a time or a place. Heaven is perfection."

(...) Sullivan sighed, but he did not argue. "I think I'll miss you, Jonathan" was all he said.

"Sully, for shame!" Jonathan said in reproach, "and don't be foolish! What are we trying to practice every day? If our friendship depends on things like space and time, then when we finally overcome space and time, we've destroyed our own brotherhood! But overcome space, and all we have left is Here. Overcome time, and all we have left is Now.
And in the middle of Here and Now, don't you think that we might see each other once or twice?" (...)



in Jonathan Livingston Seagull, Richard Bach

S. disse...

Só respondo ao teu se vieres ao meu.
;)

(Ok, já respondi. Está lá.)

Vera disse...

Uau! Quanta honra! Obrigada! Já dei as respostas a esse questionário aqui há uns dias no meu humilde belogue: http://portmoresby.blogspot.com/2005/05/eheh-tambm-tenho-o-questionrio.html

Anyway, obrigada pela passagem de testemunho.