Allegro ma non troppo



E eis que a geração Penim começa a mostrar obra feita.

Está aí Fátima, a nova montra das manhãs da SIC, sucessor do "SIC 10 Horas", um formato assumidamente inspirado no Oprah.

Que dizer sobre esta mudança? Vamos por partes.

Primeiro, é um passo lógico na carreira de Fátima Lopes, que mais uma vez vê o seu nome nos holofotes. Merece-o: todos sabemos que o "SIC 10 Horas" já era o programa da Fátima (cada vez que alguém a substituia, por melhor que fosse, sentia-se a ausência da dona da casa); além de representar o fruto de uma carreira de esforço - Fátima Lopes é provavelmente a apresentadora de televisão mais exemplar no que toca a profissionalismo e exemplo de conduta.

Segundo, é uma tentativa clara e assumida de elevar a fasquia, subir o nível do programa acima dos programas da concorrência, mantendo-o generalista mas com uma nova premissa de qualidade e classe (coisa que anda desaparecida há uns tempos na nossa pantalla). O plateau está mais elegante, a estrutura geral anda em busca de uma elegância e de uma fluidez longe do ambiente feirante e de faca e alguidar. Espera-se, pelo menos.

Terceiro, é a aposta continuada na Comunicasom, onde uma equipa-família se esforça por recriar todos os dias novos frutos televisivos. Estamos numa época conturbada e o desafio não é fácil, mas esta é uma equipa vencedora e isso vai certamenterepresentar uma resposta à altura.

Claro que ainda há uma imensidão de coisas a resolver: o set ainda está frio e a distância sente-se em dobro na televisão. Os tons frios aindam fazem gelar o plateau, de vez em quando, e a iluminação vai tendo os seus ajustes... A raínha das manhãs precisa de tempo para apurar a receita. Esperemos que dê mais frutos que o esperado.

2 comentários:

Marco disse...

pois o novo cenário até que é mais elegante, mais clean, a banda ganhou um piano que deu outro som - pena continuarem com a brasileira não se enquadra nas músicas. Também foi pena continuarem com os espaços de humor - neste novo formato não se enquadra lá muito bem, e com a Tertúlia cor-de-rosa idem aspas aspas. Sinceramente estava à espera de ver um programa diferente, porque a ideia com que fiquei foi de um SIC 10 horas, como novo visual e com uma postura mais elegante, mas continuando com com todo o resto. É só a minha ideia.

S. disse...

Ainda não vi.
Mas, disseste, tipo Oprah? A Fátima Lopes é uma excelente apresentadora e tem perfil para fazer uma coisa assim, mas quanto dinheiro tem a SIC para patrocinar as loucuras (no bom sentido) ao estilo das da Oprah, e que fazem da senhora um anjo-superstar nos EUA?
Vou aguardar para ver...