rumos

Já alguma vez acordaram com aquela sensação de que afinal não têm assim tanto controle sobre a vossa vida como pensavam?
É estranha a percepção de que terceiros podem facilmente desviar o nosso rumo e obstruir eventuais saídas, não é?
O que fazer?
Desistir da navegação ou prosseguir com o bluff?


Ou encostar e esperar que o barco chegue a algum porto...

12 comentários:

EL Graxa disse...

Um barco em alto mar, é sempre uma alma livre...no entanto, todo o marinheiro necessita de um porto seguro!
Acho que tudo depende do jogo em que participas e na fase em que ele vai!
;) no entanto, jogar demais num barco que oscila pode provocar enjoos!

Anónimo disse...

Há sempre maneiras de prosseguir sem bluff...mas cada um tem os seus principios.

Sou toda boa

Kgrilos disse...

1. Sim já me aconteceu.

2. Sim é estranha, e por vezes sem aparentemente sem sentido, não sei se é o caso.

3. Segue o teu caminho.

4. Ou uma coisa ou outra, desde que sigas o teu caminho, estás (perdoa-me a redundancia) no caminho certo.

O encostar e esperar que o barco chegue a bom porto não é nenhuma pergunta por isso não posso responder....

susana disse...

a isso chamamos de manipular pessoas...o mundo de agora está cheio de pessoas a quererem manipular outras (encontram-se em grande número em tudo o que envolver política...).

tentar seguir-mos apenas nós ou deixar o barco navegar cm a maré?
se deixarmos o barco navegar cm a maré estaremos a seguir a scociedade mas não somos nós que escolhemos, se remarmos contra a maré estamos a ir plo caminho mais dificil mas temos uma certeza, as decisões sobrea nossa vida são nossas e de mais ninguém...

Espanhol disse...

concordo totalmente com a susana ;)

Mario disse...

Controle sobre a nossa vida... é bastante dificil... podemos tentar enganar-nos a nós próprios, mas vai haver sempre alguém ou alguma coisa no nosso caminho...
Desistir de navegar... NUNCA!
Um pessimista é uma pessoa que, podendo escolher entre dois males, prefere ambos.

João Henrique disse...

Há muito tempo que eu sei que tenho pouco controle sobre a minha vida. É melhor assim para não haver desilusões.

simple disse...

Oláh Carlos!...
Olha é so para dizer estas muito gira no program "Às 2 por 3" :P... (pelo menos essas rugas e esses cabelitos brancos nunca me enganaram lol)
Estou a brincar, mas hoje quando liguei a TV na SIC e vi-te la a fazer de velhinha axei uma piada tremenda! lol... estás muito bem...
Ha muito que procurava o homem dos 7 oficios, enfim axei! lol

Bem, mas em relação aos "rumos" de que falas no texto... é verdade!... Antigamente nao havia nada destas coisas!... (ou sim!) É verdade também que quando se nagega não se pode afirmar que se está 100% seguro... há sempre esses tais terceiros!... Agora... desistir da navegação? seria xato e inconveniente, logo ha que tentar de alguma forma combater essa "invasão" em territorio alheio!...

Bem Carlos, boa sorte para exes novos projectos!... =)

Carla

S. disse...

Esperar.
Vais ver que se faz luz.
Espera e respira.
;)

Patrícia disse...

Sabes, acordo com essa sensação todos os dias! Por mais que tente ter controlo sobre a minha vida, não posso fazê-lo totalmente...vivemos em sociedade, em grupo, a dois, mas nunca sozinhos! E, assim sendo, todos os dias terceiros me podem desviar do meu rumo...se eu deixar, se eu concordar, se eu permitir!
Acho que a vida é muito mais que só navegação e blufff. É as duas coisas e todas as consequências ou causas! Não sei a que te referes quando fazes essa pergunta, mas uma coisa te posso dizer: se na nossa vida a água está calma demais ou se, por outro lado, se transforma num verdadeiro tsunami é porque em algum ponto do nosso caminho fizemos escolhas que levaram a isso! Já me deixei de lamentar o que poderia ter feito melhor ou de outra maneira. Não vale a pena: não nos devemos lamentar, não nos devemos deixar ir abaixo. Aliás, isso é a única coisa que podemos decidir por nós sem influências de terceiros: levantar a cabeça, encarar os factos, tomar decisões ou, como tu dizes, "encostar e esperar que o barco chegue a algum porto". Claro está, que mais uma vez, seja o que for que decidamos, vai ter consequências e...vamos saber enfrentá-las? e, depois? desistimos da navegação? No meu caso: NUNCA desisto. Enfrento. Porque é nessas alturas que um passo em falso acarreta consequências, umas vezes más, outras boas, mas as MINHAS consequências. E, se são minhas, foi eu que as construí.
Desculpa, já divaguei demais. Tentava levantar-te o ânimo, mas acabei por me perder em sentimentos e formas de ver a vida. Só um conselho final que acho que serve para tudo na vida: Nunca te escondas de nada, senão não serás recordado como pessoa, mas sim como rato!
Fica bem. Patrícia

P.G. disse...

NÃO TE ESQUEÇAS QUE O RISO É SOLUÇÃO PARA TUDO! A FELICIDADE É UMA CAIXINHA PEQUENA! ... palavras tuas! Vê lá se não perdes a caixinha nem te pões a chorar por razão nenhuma!

Anónimo disse...

Bluffar ou não eis a questão.
Será que vou correr? será que vou comer? Será apenas o caminhar que anda só por andar? Virar à esquerda ou à direita? Não!!! Seguir em frente sim! Não enfiar o focinho na areia nem encher os ouvidos de cáca.