O som Spektor


O Markl já há uns tempos falara dela mas vale a pena insistir no nome: Regina Spektor é daquelas meninas que convém trazer no ouvido.
Moscovita de nascença mas nova-iorquina de gema, Spektor estreou-se em 2001 com o álbum 11:11 e tornou-se um dos rostos do movimento anti-folk.
O seu 3º álbum, Begin to Hope, merece ser ouvido (aqui já tem feito uma boa rodagem) e guardado com especial atenção.
No entanto, uma das suas melhores prestações foi ao vivo no Late Night do Conan O'Brien. Sem artifícios, sem banda, a solo com um piano de cauda, a menina rendeu todos às evidências. Quem sabe, sabe, e isto é um grande momento de televisão:

3 comentários:

Popy disse...

mais uma voz esganiçada "a la" Blunt, morisette, dido,Chris Martin e por ai fora..

um cadinho irritante no minimo...

Carlos disse...

Popy

Ainda bem que os gostos divergem!
Eu, pessoalmente, jamais a meteria nesse saco. Acho a tipa nada esganiçada e até, pelo contrário, muito doce.

Mas gostos são como as bananas.

Popy disse...

Carlos

quando o Markl postou isto no blog dele, veio algo a minha cabeça,as parecenças na voz com o Blunt.

Nao digo que a musica nao presta ou é má, mas a voz levou-me a pensar nas parecenças.

mas como dizes,ainda bem que os gostos divergem..seria uma chatice se toda a gente gostasse do mesmo,seja qual for o tema de conversa

um abraço