Sr. Matos, isto é para si


Isento de juízos de valor...

8 comentários:

Eduardo Ramos disse...

... pronto!
Já não durmo!
Até fiquei em pulgas!
A mesma comichão que tive quando soube que o filme "Homem Aranha" estava para sair.

cesar disse...

Ola
tudo bem ?
espero que sim !
bem vi ai ese video que postastes ai no blog e achei muito fixe mesmo ! grande filme ! muito á frente mesmo
...
a bue que nao paso aqui no teu blog mas depoi dou uma espreitadela quando puder...
bem fica bem i se puderes adiciona.me no msn ?
cesar.02.91@hotmail.com
...
bgd..
hasta

Popy disse...

e esta é para ti Carlos

com a cortesia do blog do Nuno Markl http://www.youtube.com/watch?v=YsfUrHEvKIU

Anónimo disse...

Peço desculpa, mas no meu entender uma gaja boa e uns foguetes da páscoa não fazem um filme. o que é isto? uma espécie de Easy Ryder "Vigilante" do Intendente? Pá, isto é película queimada, cinematografia gratuita. Não me entretenho com isto. Mas venham opiniões, venham elas...

Um abraço.

kane

Carlos disse...

Caro kane,

é por isso mesmo que isto não é para ti mas sim para o sr. Matos.
Além disso, e ouvindo os teus argumentos, repara que eu escrevi "isento de juízos de valor".
Não é o que está nas linhas, é o que está entre elas.

karmatoon disse...

Ó Carlos, tu desculpa, mas tenho de me meter ao barulho.
E eu que até nem ia comentar isto...

Ó senhor Kane, parece-me claro que não percebe bem de onde veio este filme e muito menos o sr. personagem, simpaticamente apelidado de (por obra e graça dos brasileiros que até há pouco tempo eram os responsáveis pelas traduções dos livros da Marvel, DC Comics e afins) Motoqueiro Fantasma.
Mas devo concordar que também não fiquei lá muito impressionado com o trailer...
E parece-me que, como o sr. Kane, também o realizador deste filme não sabe muito bem quem é afinal o Motoqueiro, caso contrário nunca teria escolhido um cinquentão mono como um muro de tijolo e cimento chamado Nicholas Cage para desempenhar o papel principal.
É que de repente lembro-me de tanta banda desenhada que merecia uma versão para cinema...

Kane disse...

karmatoon:

Realmente tens razão, as origens explicam tudo. No entanto, estou um bocado farto de cinema para mentes preguiçosas, filmes para encher o olho e não o cérebro. Não é que esteja a dar uma de cinéfilo intelectualoide, mas a verdade é que a cultura, quando o é, não é gratuita, tens 2ªs, 3ªs, 4ªs e até 5ªs intenções. O verdadeiro entertenimento é o que enriquece o Homem e não o que o embrutece. 'Tou farto de de porrada e moto-ratos. Para isso já há os clássicos (e que bons). Além disso, depois do "Sin City" que mais há?
O cinema é uma arma, não uma roquinha de brincar. O cinema deve agitar consciências não adormece-las em explosões magníficas, como se gente a desfazer-se aos bocadinhos fosse a nossa "ópera no S. Carlos".
Não há super-heróis, apenas pessoas mais humanas. E essas, não as espelham as máquinas.
É só um desabafo. Nada de pessoal.

Um abraço.

Kane

karmatoon disse...

Concordo, mas acrescento:
o cinema, desde a sua forma mais primitiva - desde que os Lumiére se puseram a filmar operários a sair de uma fábrica - sempre foi uma coisa, acima de todas as outras, entretenimento, como referes e bem.
Na minha opinião, tudo é válido para nos entreter, não devem haver muitas regras. Podemos é concluir que o que nos estiveram a empurrar pela goela abaixo é bom ou mau entretenimento - pessoalmente acho que este Motoqueiro não deve ser lá grande coisa, nem para entreter...
A consciência artistica/social de que falas veio muito depois da idéia de divertir convivas sentadinhos de frente para um lençol branco, e é tão válida quanto tudo o resto que se faz no cinema.
Não gosto é de pensar que existe de facto um forte preconceito contra o cinema diversão, nomeadamente por parte de uma grande fatia da critica que parece ter vergonha de assumir que gosta - porque se diverte - com os filmes de pancadaria, explosões e o diabo a quatro.
Abraço retribuido