Pequena obra-prima


Excepção feita a Magnolia, Adaptation, American Beauty e pouco mais, não são muitos os filmes capazes de lançar uma grande aposta e manter a fasquia elevada sem perder a dignidade. A maioria lança premissas que não consegue cumprir e deixa no espectador um travo de desilusão, um "estava à espera de mais". Felizmente, ainda vão surgindo algumas lanças em África, como esta, "Stranger than fiction" ou, na sua simplória tradução portuguesa "Contado ninguém acredita".
Realizada pelo alemão Marc Forster (Monster's Ball, Finding Neverland), o filme é uma lufada de ar fresco e deixa ficar um arrependimento por ter passado quase despercebido nos cinemas, estando já à venda em DVD. É deliciosamente brilhante.

É a história de um homem real que descobre que é um personagem de ficção. É a história de um dilema literário. De um relógio de pulso. De um amor improvável. Das aspirações humanas. E biscoitos de chocolate.
Já vou tarde para aconselhar a ida ao cinema (parabéns aos que foram), mas não deixem de o ver. Hoje mesmo, antes que a vossa história chegue ao fim.

5 comentários:

Tita disse...

também gostei imenso do filme. E divulguei-o no meu estaminé.

http://de-especial.blogspot.com/2007/05/contado-ningum-acredita-2006.html

Acho que é uma pena ter passado tão despercebido

Pratas disse...

Parece que andamos com os gostos parecidos :)

http://giraminhavolta.blogspot.com/2007/05/star-movie-stranger-than-fiction.html

Gui disse...

Eu achei a narrativa brilhante e não o deixei fugir do grande ecran... =)

5 estrelas mesmo... =) viva os bons argumentos! =D

hugs,
gui

eloi disse...

Ainda não vi o filme, mas devo admitir desde já que o argumento é BRILHANTE! :)

Abraço,
eloi

nuria disse...

o filme é maravilhoso, maravilhosos tambem os que foram ao cinema... o meu pecado foi a descuberta do filme numa sesão online... e sempre por acaso.