Cá entre nós que ninguém nos lê

Conversando com um amigo meu, dei por mim a avaliar o estado da comédia em Portugal. Ou melhor, o estado dos comediantes, porque a comédia, mesmo que ninguém lhe mexa, está sempre bem. Desde que o "Levanta-te e Ri" entrou em declínio e se extinguiu, muitas pessoas me abordam com a velha questão das dificuldades dos comediantes neste país. Depois dessa grande montra que foi o "L&R", com todos os seus defeitos e virtudes, restam-nos agora o "Sempre em Pé", na 2, e uma ou outra rara aparição na TV. O que não é mau: continuo a dizer que o stand-up ainda tem muito que percorrer antes de ter direito a horários prime-time televisivos. Ainda temos que aprender muito, conquistar técnicas humorísticas mais elaboradas, mais agressivas e, sobretudo, ganhar experiência.
Mas seja como for, as idas à televisão são sempre uma espécie de prova de fogo em que podemos perceber como andam os nossos comediantes, o que fazem e o que evoluíram.
E o "Sempre em Pé", também com todos os seus defeitos e virtudes, tem sido um interessante laboratório e começa a permitir tirar algumas conclusões.
Uma dessas conclusões é que o trabalho dos comediantes do grupo "O Sindicato" está a revelar sérios frutos. Mesmo os seus membros com menos experiência (como o Guilherme esta semana) começam a mostrar uma clara evolução. Há um maior à-vontade em palco, um ritmo cómico mais desenvolto, maior capacidade comunicativa, maior domínio das ferramentas do humor. E porquê? Porque têm trabalhado.
Quando há pouco mais de um ano o Sindicato apostou em actuar muito por preços mais baixos, percorrer bares e fazer "horas de vôo", houve muita gente que criticou. Gente que achava que o stand-up merecia palcos "mais a sério", cachets chorudos e que actuar em sítios pequenos e sem grandes condições era "desprestigiante".
Como já sabia, enganam-se.
É justamente aí que o stand-up vive, cresce e se desenvolve. No bares sem grandes condições com micros sem qualidade e com ambientes duros de conquistar. É aí que os comediantes aprendem.
E os resultados são comprováveis. Independentemente de gostarmos ou não de determinados registos humorísticos de comediantes d'O Sindicato, há que admitir que se notam diferenças. Que a malta tem andado a treinar e que se nota em palco.
A comédia é como a alta-competição. Podemos não ter os melhores estádios e podem faltar os melhores equipamentos, mas no que toca a resultados o que realmente conta são o treino e as horas investidas de sofrimento, suor e muita gargalhada falhada.

7 comentários:

Farrusco disse...

Posto isto, resta-me dizer: Quem sabe sabe.
E acrescento, "comedialisticamente" falando, é deveras um privilégio trabalhar contigo.

Um Abraço e a ver se passas a bola...

Norx disse...

Como admirador confesso, tanto do "O Sindicato" como da persona titular deste blog, posso comprovar isso mesmo. è bem verdade!
Faz um aninho por estas alturas estava Vossa Exma. com o compadre Jorge "o" Crespo a começar no MM café. A partir daí fui seguindo mais atentamente o vosso "trabalho".Indo a varios sitios, ver os mesmos textos com diferente tipo de publico e ver com se transformam. Realmente estão a ficar muito melhores, nota-se de verdade.
Digo isto não por parecer bem, Mas para me pagares um copo na proxima vez
Abraço solene
Vítor Pereira
P.S.- Ainda continuam a atirar garrafas sob a divina protecção dos holofotes?

MEIA-DOSE PA4 disse...

boas,

concordo plenamente com o moura!

eu ainda estou no incio do mundo do stand-up 8muito graças ao (raminhos)...sei que nao tenho muita experiencia para falar...mas quer dizer...fazer stand-up comedy aserio é em bares assim underground...eu na tv nao sei se faria tao bem e se teria o mesmo impacto que num simples bar...

abraços

Carlos disse...

meia-dose:

atenção a essa ideia de que "eu na tv nao sei se faria tao bem e se teria o mesmo impacto que num simples bar".
Na maioria das vezes é mais dificil trabalhar um bar que um programa de tv...

MEIA-DOSE PA4 disse...

obrigadao pela dica!

se apareceres por coimbra diz algo...

vou tentar encontrar algo ca para voces...nao e facil...mas procura-se bem!

digo algo pelo raminhos!

Filipe disse...

Não podia deixar de comentar. Conheço a origem, conheço o fabrico, conheço a fermentação...é casta boa. Fazer rir é dos trabalhos mais complexos que existem. Há mérito, porque já ri. O humor traduz-se na forma mais séria de encarar a vida. Parabéns a esse brutal grupo que fez de comédia o que ela é...fazer rir,defender causas. Cá estarei para aplaudir,de pé, aos meus olhos suspeitos de carinho e admiração. Um abraço do coxo. Filipe

stm disse...

Excelente trabalho Sindicato!
E um espectáculo aqui no Porto? também merecemos nao? ;)