INEM'creditonoquetou'ouvir

A SIC teve a coragem de colocar ontem no Jornal da Noite uma reportagem daquelas que raramente se tem a oportunidade de ver; de certa forma, é uma maneira de se redimirem das reportagens monocórdicas da Joana Latino. Adiante.
Coragem, porque além da sensibilidade da temática, a reportagem consiste em quase um quarto de hora de apenas som: uma gravação de uma chamada para o INEM e do INEM para os bombeiros voluntários locais.

Ambos os telefonemas são inacreditáveis, e nenhum por bons motivos.
Começando no primeiro, em que um fulano diz, com uma tranquilidade invejável, que o irmão caíu. Que venha a guarda, que ele está morto.
Mas a partir daí, a coisa começa a entrar numa comédia absurda.
Com um bombeiro que não sabe o que há de fazer, uma operadora do INEM que mantém a calma onde qualquer um de nós perderia a cabeça (apesar de claramente não acreditar no que lhe está a acontecer).
Não adianta grandes explicações.
Vejam e ouçam com atenção.



Adoro a parte do:
INEM: “Quanto tempo demora a chegar ao local?”
BVF: “É só ir buscar a ambulância e arrancar”

E depois não me venham dizer que é um problema de meios.
Isto é gente mal preparada e muito incompetente, é o que é.
E isso é um problema de formação, não de aquisição.

9 comentários:

ni disse...

É muito triste... inacreditavel....
Menos mal que o irmão da vítima se encontrava mesmo muito calmo pois de outra forma estaria continuamente a ocupar tds as linhas telefónicas do INEM até que alguma "viv'alma" chegasse ao local
......

Gui disse...

Porque é que deixam um inergumeno trépido e nervoso sozinho a aguentar uma corporação de bombeiros inteira?

Porque isto apesar de ter piada é um bocado assustador...

Para além de imaginar o senhor "masculino de 44 anos" que caiu das escadas possivelmente ainda com vida a perde-la rapidamente, penso ainda bem que não temos fábricas nucleares em portugal...

"Diga, diga? Que botão é que não posso carregar? é que sabe, deixaram-me aqui sozinho... é o vermelho que explode, é?"

E viva o interior "desquecido"...

hug,
gui
(ramboiablog.blogspot.com)

Enf. Pedro Silva disse...

Bom... arrepia... Pior, envergonha... Mais ainda quando tambem eu, ainda que PROFISSIONALMENTE habuilitado para o efeito, exerça funçoes num Serviço de Urgencia... Creio que está na altura de PROFISSIONALIZAR o Pré-Hospitalar! Basta de "Heróis" de fachada, sem preparação, sem cultura, sem formação e sem BOM SENSO! Vejamos: um doente CRITICO inicia-se após o Acidente ou Incidente! Não se inicia na admissão de uma unidade Hospitalar! Assim, não fará TODO o sentido entregar a Emergência Pré-Hospitalar a PROFISSIONAIS de saúde, que garantam uma assistência eficaz à vitima? É uma vergonha ver que existem ENFERMEIROS no desempregro, quando estes profissionais têm conhecimentos técnicos e cientificos de URGENCIA e EMERGENCIA na sua formação de base (como se poderá confirmar em qualquer plano curricular das Licenciaturas, colocadas on-line pelas instituições)... BASTAVA DAR-LHES TREINO... Se assim continuar, muita gente vai morrer... ou morrendo... Porque os herois da ambulancia não estão no quartel (porque são VOLUNTÁRIOS e como tal não têm obrigações nenhumas!), ou quando estão... meu deus... Qual a preparação destes individuos? Enquanto cidadão, faço um pedido:

PROFISSIONALIZEM O PRÉ-HOSPITALAR!

Bem haja à tentativa do INEM de dar cobertura a nivel nacional de meios formados e treinados pela própria instituição...

Saudações!

siralex disse...

Tinhas escrito bastante, mas apaguei tudo.
Nao batam mais no ceguinho, vamos mazé ser todos melhores pessoas, melhores cidadaos. Se todos derem mais do que recebem, todos temos a ganhar.

Vasco disse...

Realmente se a vitima ainda estivesse viva, não demoraria a falecer... é triste ver o país neste estado.
Concordo em pleno com as afirmações anteriores de enf. pedro silva.

cumprimentoss Carlos

Incógnita disse...

Inacreditável, do princípio ao fim. Mas há um dado que me intriga: o primeiro bombeiro está aflitíssimo, sem saber o que fazer, e inclusivé admirado, porque o INEM lhe telefonou para o telemóvel, e não para o telefone da corporação de bombeiros: ele claramente não fazia ideia de que aquele tipo de trabalho lhe poderia vir a ser entregue, nem que o seu número estava ao serviço do INEM. Incompetência de quem gere a rede de emergência, e apesar de tudo, um louvor aos bombeiros VOLUNTÁRIOS, que embora apanhados de surpresa e sem saber o que fazer, estavam dispostos a esforçar-se por dar uma resposta a uma missão que não sabiam ser da sua competência.

Carlos disse...

Incógnita:

o telefonema é feito para a Coorporação de Bombeiros. Vai para ao telemóvel porque, para não serem obrigados a ter que ficar no quartel, os bombeiros fazem reencaminhamento das chamadas da central... para os telemóveis.
Por isso, não há grandes surpresas e a senhora do INEM ligou para onde devia ligar.

Incógnita disse...

Carlos:

não duvido que o Inem ligou para onde devia, questiono, isso sim, se o bombeiro saberia que isto lhe podia acontecer. E se questiono isto, é porque procuro uma explicação lógica para a sua reacção. Simplesmente, a possibilidade de tudo isto se dever a pura incompetência e a uma ignorância assutadoramente animal, transtorna-me de uma forma quase insuportável.
Cumprimentos.

anaas disse...

Quando ouvi isto na televisão, senti revolta, fiquei surpreendida...a ponto de me apetecer desligar a tv...tento perceber de quem é a culpa, pois acredito na acção-consequência...nem quero pensar muito nisso. Fico-me pelo pensamento de que a sentença de morte é uma certeza para cada um de nós...e longe vai o tempo em que a morte aparecia com um manto negro e uma foice na mão...é deprimente...