Sobre a responsabilidade

Acho que te preocupas demais.
Não que isso seja mau - há alturas em que nos devemos preocupar.
Mas acho que te preocupas em excesso.
Acho até que te preocupas com coisas inúteis e insignificantes, como o futuro, o saldo no banco, o trabalho que tens que entregar... essas coisas.
Calma. Sinto-te a hiperventilar.
Vai lá buscar um saco de papel e respira pausada porém profundamente.
Não te desgastes.

Se te queres preocupar, preocupa-te com as coisas realmente importantes da vida:
- Preocupa-te em saber quais os tons de laranja que o pôr-do-sol de hoje reserva para ti. Pode ser o teu último.
- Não descanses enquanto não ouvires de novo o som maravilhoso que o rosto de um desconhecido produz quando sorri (se nunca ouviste isto continua a insistir, é quase tão belo como o som de um abraço)
- Preocupa-te em decifrar os aromas que a próxima brisa trouxer e vê se descobres neles alguma memória de infância
- acima de tudo, preocupa-te imenso com que os outros não se preocupem tanto. É desgastante e muitos não sabem

Enquanto isso, encosta-te e aprecia a viagem.

Olha que é mais rápida do que parece.

9 comentários:

Anónimo disse...

É tão bom ter pessoas que nos dão atenção...

Sou toda boa

Anónimo disse...

É tudo aquilo que digo aos meus amigos ... para quê só responsabilidades se não se tirar prazer do que se faz ... podemos ser responsáveis e viver o que está ao nosso lado, é só saber gerir as coisas.
Beijos. JO

Sergy disse...

Belo texto!

PSEUDO disse...

N leves a mal.E assim q eu sou.
Odeio o discurso dos demasiado optimistas. é doentio. A responsabilidade é a coroa do ser humano.
De vez em quando passo aqui e deixo um pouco da minha fúria. Espero que não incomode ninguém. É suposto ser catártico para vocÊs, ver que outros apresentam ódios maiores.

karmatoon disse...

Caro amigo, apesar de ser um texto bem escrito, e apesar de procurar sempre que o meu copo esteja meio-cheio, acho pouco provável que se consiga levar a vida somente preocupado com as "coisas realmente importantes da vida". "Era bom, mas acabou-se!" E já acabou hà muito tempo! E fomos nós que colocámos um fim nisso de ver as coisas boas da vida e não as fúteis!! Mas não devemos desistir de as continuarmos a ver, não tenho é a certeza se hà tempo para isso...
Receio também que o teu texto seja um... falso-texto-optimista. Parece-me, isso sim, que nasce de uma fase de pessimismo, que só alguém criativo e sonhador - e com uma boa memória cinematográfica - pode tentar disfarçar. Ábraço «meio-cheio».

Mágico disse...

Este teu post parece que foi escrito para mim:
Frequências da universidade, trabalhar de noite, procurar estágio na minha àrea ( jornalismo ) e sobreviver! Uff.. é difícil..

Triologia do Zum zUm zuM disse...

Está tudo louco!!! Estás a escrever para quem mesmo? No início do texto dizes “Acho que te preocupas demais.”, No fim já dizes “preocupa-te imenso”… mas o que é isto amigo? Estás bem? Achas mesmo que se pode viver assim?
O texto ate parece porreiro, mas confuso e irreal. Eu gosto bué de ti, mas não consigo perceber e entender onde tinhas a cabeça e a alma quando escreveste isto, homem…
Desculpa a sério.

Beijos

Segundo zUm

Friedrich disse...

Bom as opiniões até podem divergir, mas agora que tens razão lá isso tens...
A preocupação o que é isso? Então não é o défice? é que tirando essa não estou a ver mais nenhuma. Podes te passar à vontade amigo, porque os loucos não existem com preocupações eles voam onde os lúcidos nunca chegarão.

Segundo Abraço de hoje... Já chega!

Anónimo disse...

Ao contrário do que possa parecer é possivel consiliar as duas coisas... Ver o melhor da vida e ser responsável por aquilo que se faz... Mas o mais importante de tudo é saber aceitar as consequências do que se faz!
Não sejas tão pessimista! Veve como se fosse o teu ultimo dia, mas não penses muito nisso!
Há certas alturas em que pensar em demasia faz mal!

Beijo Maria João