Antes tarde que nunca

Depois da loucura que foi(embora ainda não tenha sossegado completamente) o arranque de Factor M, programa que estou a produzir com a MediaLuso, finalmente arranjei um tempo para regressar ao blog: abri as janelas, deixei arejar e limpei o pó.

Tenho vindo a constatar ultimamente o fenómeno popularmente conhecido como "envelhecer". Não é que me sinta velho, mas sim mais velho.
O que é claramente diferente - se não sabes a diferença, é porque ainda és muito novo.

Sintomas básicos de que estamos a envelhecer? Aqui seguem alguns.

- apercebes-te finalmente da importância vital de coisas como manjericão fresco, a ramagem de uma planta doméstica e a largura do bocal de um copo de vinho tinto;
- deixas de ter paciência para pessoas que começam um diálogo com a frase "Eu sou uma pessoa que...". O que te define são os teus actos e as tuas considerações sobre o mundo que te é externo, nunca interno, porque és sempre o maior suspeito na auto-análise;
- quando a importância de possuir um livro dispensa explicações;
- compreendes que a maior sensualidade está no que não se diz, não se faz ou não se mostra;
- preferes estar sozinho do que mal-acompanhado, sendo que estar mal-acompanhado ganhou de repente um sentido muito lato;
- aceitas como indiscutível que um amigo demora tanto ou mais tempo a macerar que um verdadeiro molho picante;
- dás por ti a aguardar que as coisas sigam o rumo inevitável;
- passas a acreditar menos nos novos talentos e a admirar muito mais os velhos clássicos;
- consegues identificar pelo menos 5 detalhes plagiados em qualquer novo single na rádio, ou filme em estreia, ou livro de escaparate, ou colega de trabalho;
- descobres finalmente que "o verdadeiro prazer está no percurso e raramente no objectivo"; e que, durante todos estes anos em que defendias esta máxima, não fazias a mais pequena ideia do que realmente queria dizer;
- eleges a metáfora como tua melhor amiga;
- encontras um sentido para a vida: em frente.

11 comentários:

Paulo de Oliveira disse...

em suma, É BOM!!!

abraço

(adoro conversas de velhos)

Pedro Gasga disse...

pequeno acrescento:

- dás por ti a perguntar-te se não seria melhor começar a adquirir um estimulante como o 'good & old' stick of kabind (pau de cabinda)

- começas a esquecer-te das coisas e a aparecer todo nu num concerto dos DZRT sem te lembrares muito bem de como foste lá parar.

e agora com um pouco menos de boçalidade e mais mordacidade:

- começas a fazer exercícios reflexivos sobre a vida, em que teces considerações sobre amigos, livros, et caetera (e prepara-te mais um momento de javardice...)
sem sequer falares de gajas, futebol, corridas de carros ou wrestling como convém a um gajo de barba rija.

sem mais nada de acéfalo para dizer

Grande abraço

Popy disse...

muitas verdades dizes neste post

Miguel Ângelo disse...

Começas também a perceber que nada é estanque; nada é exacto e tudo é apenas, tão-só, o reflexo de como queremos que tudo seja. O resultado de como queremos viver pelo "trial and error" em que temos andado.

Começas a perceber que o que realmente sabes é ínfimo e só tens em ti uma pequena parte do tudo que absorves.

Sabes, principalmente, que nada sabes e quando sabes certos pedaços, às vezes desejas voltar à ingenuidade. Por essas e por outras, todos os dias, mesmo assim, tentas saber mais um bocadinho.

E escrever até ajuda na coisa. ;)

Eu cá, cá para mim, ainda sou muito novo, meu querido, mas não há anacronismo e as coisas são como são. Nas vezes em que são mais -- ou menos -- envelhecemos mais um bocado. Mas é a incerteza que me tira a vontade de envelhecer. Isso e as gajas, o wrestling, as corridas de carros e o futebol, que, pel'aquela coisa da ingenuidade, têm cada vez mais importância que antigamente.

Abraço de "velho".

manuel prata disse...

Tens uma maneira de falar sobre as coisas que toca fundo...

Miguel Branco disse...

Meu amigo,
a PDI tem dessas coisas.
Percebes também quem te quer bem e quem te quer porque tens algo que lhes interessa.
Mas algumas das tuas linhas cheiram-me a recados, subliminarmente dirigidos...
Estarei certo??

Abraço

Pratas disse...

Li o teu post e senti-me velho :)

sweety disse...

ai, moço, que bem te avisei! qualquer dia ainda te transformas numa i.c.? certo? e depois? não dá para voltar atrás! porque é mesmo como tu dizes: sempre em frente!
o pior é quando dás quatro passos passos de caranguejo e dois à bebé. O chefe manda. é a vida. mas tu tem cuidado porque ainda estás só a tornar-te "mais velho" e isso quer dizer "crescer"! às vezes confundes as palavras e tens que me dar o benefício da dúvida porque EU sou mais velha, por isso, segundo tudo o que ali disseste, posso afirmar seguramente que é assim que as coisas se processam. vai crescendo devagarinho, com calma, a curtir a vida, e deixa-te de velhices para quando entrares nos "entas". depois falamos de igual para igual e aí sim, discutimos a importância de um livro, os plágios descarados, as más companhias, a definação do carácter de um ser humano pelos seus actos e considerações sobre o mundo, e acima de tudo o quanto é prazeiroso ter um copo de vinho tinto com a largura do bocal devidamente bem larga e à mesure!
até lá, meu querido! beijos e bom trabalho.
ps. gostei muito do factorm.
apesar de algumas falhas, mas a moça vai lá. tu consegues. beijos a todos.

Miguel disse...

cambada de cotas!

Miguel disse...

Eu n s cm vcx! Vou sr novo pr smpr! É pr isso que tnh 50 ans e ainda escrevo cm um atrasado mntal. lol!

eloi disse...

Tens de facto um discurso "right to the point" que tanto admiro!

Abraço,
eloi